E NO FIM O QUE RESTA?

by Câimbra

/
  • Digital Album
    Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.
    Purchasable with gift card

      name your price

    You own this

     

  • Record/Vinyl + Digital Album

    Side A - E NO FIM O QUE RESTA?
    Side B - É TUDO UMA MENTIRA (Remastered)

    Pressed in May 2013 at DMS, London, UK.

    Includes unlimited streaming of E NO FIM O QUE RESTA? via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.
    ships out within 7 days
    edition of 300 

      $15 USD or more 

    You own this  

     

1.
É o Fim 03:24
hoje eu vou para a prisão sem nenhuma razão provocar a lei isso é fácil, eu sei jogar pra cima perder a linha entrar na mira quero ver quem atira vou mandar a merda quero ver quem entrega eu sei você não nega você também sonega seu filhadaputa você também sonega hoje eu vou para a prisão sem nenhuma razão, não desobedecer a lei isso é fácil, eu sei vou jogar pra cima vou perder a linha esquecer da rima desmoronaria no primeiro beco não tenho mais vontade nao acredito em liberdade não acredito em imagem só acredito na cidade na cidade e na idade que me faz perder a vontade mas não o tesão pela carne sem lutar sem revidar vou me entregar chega! hoje eu vou para a prisão sem nenhuma razão não quero mais ser livre assim é o fim
2.
quero sempre pagar para ver não acredito em ver para crer crer pra quê, é só te... não acredito em nada, que dizem eu não confio em nada, que confiam eu não rio de nada, que riem eu não rezo pra nada, me livre não acredito não compartilho nem partilho a busca de um mesmo destino só aspiro e respiro fumaça não compartilho nem partilho a busca de um mesmo destino só respiro e aspiro desgraça esfaqueado caído largado num canto molhado garrafa do lado
3.
enterrei, mas não esqueci o que deixei pra fora, da terra do jardim que ela deixou mofar deixou embolorar perdoei, mas não esqueci do que deixei pra trás, ela nunca se despediu prometeu voltar prometeu estar não tem volta nunca terá não tem volta não quero mais me perguntaram o que eu sei fazer eu não sei isso eu sei me perguntaram o que eu não sei fazer não sei dizer o que é fazer parei em frente ao espelho e fiquei pensando na morte eu fiquei pensando na sorte na morte que é pra onde eu vou no norte que é pra onde eu vou enterrei, mas não esqueci o que deixei pra fora, da terra do jardim que ela deixou mofar deixou embolorar perdoei, mas não esqueci do que deixei pra trás, ela nunca se despediu prometeu voltar prometeu estar
4.
R.I.P. 02:40
não sei o que vou falar se você me perguntar qual é a coisa que eu mais tenho vontade de gritar botar tudo pra fora nem sei o que me incomoda melhor eu ir embora, não quero nem começar vou correr pra que lado continuo parado sufocado, agoniado, pronto pra explodir implora para eu ficar mesmo sem resultado vou fazer um estrago bem melhor eu ser lembrado do que rejeitado me sentindo humilhado sempre fiquei de lado quieto pra não gritar que eu vou quase explodir pula pra me calar pode escrever na minha lápide: "morreu calado morreu fracassado acuado ignorado morreu rejeitado deslocado esquecido morreu reprimido" crise de inconexão 
perfurado pela fartura de informação, grão a grão 
saturando qualquer livre exclamação 
de tensão ou de tesão 
que de tanto urge, urge em vão 
e se sobra, rende drama, vastidão
 espaço incultivável, ócio e solidão 
que vem acompanhada, não só, não
 traz consigo o vício
 de estar não com você, mas com outro cão 
mesmo que este outro cão 
finja manter a conexão
 botar tudo pra fora nem sei o que me incomoda melhor eu ir embora, não quero nem começar mesmo sem resultado vou causar um estrago me sentindo humilhado, fico sempre jogado pula pra eu não gritar que eu só quero explodir
5.
Apenas Sinto 04:04
mais dia, menos dia o copo transborda sem identidade sem flexibilidade com a idade sem vontade, sem (nenhuma) vontade espero tudo do futuro, que o passado me prometeu construídos os sonhos, tenho que acreditar em mim no que posso, ou acho que posso no que me preparei ou tentei o futuro baseado em esperanças que deixo sempre para amanhã o passado gasto em esperanças na espera do amanhã eu me lembro de escovar os dentes, com pasta sabor menta e de isso ser apenas um sabor, pra tirar meu gosto amargo de vômito recente não lembro, apenas sinto apenas sinto

about

Gustavo McNair - VOX
Alexandre Pereira - GUITAR
Piettro Torchio - GUITAR
Manoel Junqueira - BASS
Caio Casemiro da Rocha - DRUMS

credits

released January 23, 2013

Produced by Câimbra.
All songs written by Câimbra.
All lyrics by Gustavo McNair.

Recorded in April 2012 at Zastrás, São Paulo, Brazil.
Recording engineers: Piettro and Alexandre.
Mixed by Piettro at the London School of Sound, London, UK.
Additional mixing by Alexandre at Zastrás.
Mastered by Alexandre at Zastrás.

Artwork by Manéu with original photo by George Duncan.

license

all rights reserved

tags

about

Câimbra Sao Paulo, Brazil

Câimbra is a Brazilian sludge/metal band from São Paulo.

contact / help

Contact Câimbra

Streaming and
Download help

Redeem code

Report this album or account